Colômbia estreia modelo de leilão para renováveis em 2019

Setor elétrico colombiano é considerado um dos mais modernos em termos de contratação de energia

Da Agência CanalEnergia 
09/01/2019

DE SÃO PAULO (SP)

A República da Colômbia realizará em 26 de fevereiro deste ano uma nova modalidade de leilão especialmente voltado para contratação de fontes de geração de energia de origem renovável não hidráulicas, como eólica e solar. A medida vinha sendo estudada desde 2016, diante da dificuldade do país de introduzir essas fontes na matriz energética e da pressão de associações e empresas atuantes naqueles setores.

“Com isso, a Colômbia deixa de ser o último país latino-americano a resistir à onda dos leilões de renováveis”, destaca a consultoria PSR em sua seção Internacional na edição de dezembro do Energy Report.

A PSR lembra que a Colômbia foi um dos pioneiros na implementação de leilões para contratação de lastro separado da energia, possui um mercado varejista altamente competitivo, no qual as comercializadoras têm papel fundamental, além de também ter um mercado de curto prazo operando por ofertas de preços. Todas essas medidas são estudadas pelas autoridades brasileiras como formas de modernizar o modelo comercial do setor elétrico por aqui.

Com isso, a Colômbia deixa de ser o último país latino-americano a resistir à onda dos leilões de renováveis.

Apesar da vanguardista colombiana, a competitividade de custo das hidrelétricas impede que outras fontes de geração de energia elétrica logrem sucesso nos certames promovidos pelo Governo vizinho. A solução foi criar um mecanismo para contratação de renováveis não-hídricas.

De acordo com a PSR, essa discussão sempre foi difícil na realidade colombiana, pois os agentes preferiam aperfeiçoar as regras para participação nos leilões de lastro, que são neutros em relação ao tipo de tecnologia de geração. No entanto, a redução de custos das fontes solar e eólica e um atraso significativo na construção da hidrelétrica Ituango (2400 MW) – em razão de um grave acidente -, criam um ambiente mais favoráveis a tal interferência.

BASES DO LEILÃO

A PSR analisou as bases do primeiro leilão. O governo colombiano ofertará contratos de 12 anos para novos projetos, com início de entrega em dezembro de 2021. Serão contratados 135 MW médios. “A demanda é um dado público e conhecido”, destaca a consultoria.

Um dos mais interessantes aspectos do novo leilão colombiano diz respeito aos critérios de qualificação para participação. Um sistema de pontuação foi criado associado a quatro premissas: 1) diversificação da matriz; 2) complementariedade; 3) segurança energética; 4) redução das emissões de gases de efeito estufa.

Cada item tem pontuação máxima de 25 pontos. Para se qualificar, deve-se atingir mais de 50 pontos. Após a fase de qualificação, o critério para a seleção é estritamente menor preço ofertado. Além disto, o mecanismo do leilão da Colômbia é na modalidade envelope fechado e pay-as-bid, ou seja, cada ofertante vencedor receberá exatamente o preço ofertado. Clique aqui para adquirir a edição nº 144 do Energy Report.