WEG termina primeiro trimestre do ano com lucro 8,7% menor

Resultado no período chegou a R$ 257,7 milhões. Na área de GTD, fonte eólica lidera produção

Pedro Aurélio Teixeira Investimentos e Finanças
26/04/2017

A fabricante de equipamentos WEG terminou o primeiro trimestre de 2017 com lucro de 257,7 milhões. O valor é 8,7% menor que o mesmo período do ano passado, de R$ 282,3 milhões. Na comparação com o último trimestre de 2016, a queda no lucro chega a 20,3%. A empresa divulgou nesta quarta-feira, 26 de abril, seus resultados financeiros. A receita líquida de vendas chegou a R$ 2,13 bilhões, recuando 11,7% na comparação com o primeiro trimestre de 2016. No último trimestre do ano passado, a receita era 10,2% maior, de R$ 2,37 bilhões. O Ebitda da WEG também teve redução nesse trimestre, ficando em R$ 330,9 milhões, mostrando queda de 3,3% em relação ao mesmo trimestre do ano passado. Houve diminuição de 17,4% no Ebitda do quarto trimestre de 2016.

De acordo com a WEG, os investimentos em expansão e modernização da capacidade atingiram R$ 58,7 milhões no trimestre, sendo 49% no Brasil e 51% nas unidades do exterior. A empresa viu uma tendência de normalização gradual do ambiente de negócios. Na área de geração, transmissão e distribuição, a receita trimestral reflete a execução de uma carteira de pedidos formada em trimestres anteriores. A empresa destaca o setor eólico, com alta ocupação da produção até 2018. Ainda assim, ela alega ter capacidade para conquistar mais pedidos.

Nas fontes hídrica e térmica, mesmo com uma boa carteira para este ano, a fraca demanda pode fazer com que a receita seja afetada em 2018. A WEG espera que o leilão de descontratação dê um real panorama da situação de oferta e demanda de energia no país. Já em transmissão e distribuição, não há capacidade excedente no sistema brasileiro. Os resultados dos leilões de transmissão geram perspectivas positivas para a fabricante.