Usinas da Força Eólica do Brasil são aprovadas pelo MME como produtoras independentes

Obras vão até 2022 e irão requerer uma soma de cerca de R$ 891,7 milhões para execução de quatro projetos

Da Agência CanalEnergia 
27/06/2018

O Ministério de Minas e Energia definiu a operação como produtores independentes de energia de quatro projetos relativos as usinas de geração eólica denominadas Canoas 2 e 4 e Lagoa 3 e 4, ambas localizadas na Paraíba. As EOLs, que também foram aprovadas pelo MME como projetos prioritários e enquadradas junto ao Reidi, são de posse da Força Eólica do Brasil.

As usinas Canoas 2 e 4 terão 33,6 MW de potência e irão demandar, cada uma, investimentos da ordem de R$ 246 milhões. Já as eólicas Lagoa 3 e 4 preveem 33,6 MW e 21 MW de capacidade instalada, respectivamente, e recursos de R$ 246 milhões para o primeiro empreendimento e R$ 153,7 milhões par ao segundo. Todas aplicações foram calculadas sem a incidência de impostos e ambos os projetos tem cronograma de obras previsto para setembro de 2021 até 2022.