Swiss Re vê mercado potencial de 17 GW para seu seguro paramétrico climático

Empresa passou o primeiro ano desde a aprovação na Susep para entender o segmento eólico e agora vai atrás da comercialização do produto que protege o fluxo de caixa do gerador

Da Agência CanalEnergia 
31/08/2017

A Swiss Re Corporate Solutions Brasil apresentou pela primeira vez ao mercado eólico o seguro paramétrico de índices climáticos no Brazil Windpower 2017. A solução é nova, foi regulada pela Susep ao final de 2014. Essa solução foi lançada oficialmente no ano passado, mas em função da empresa entender as necessidades do setor, passou o primeiro ano avaliando as suas especificidades do segmento. O objetivo é o de reduzir a exposição de empresas do setor de energia a eventos climáticos imprevisíveis, como excesso ou escassez de chuvas e ventos.

O vice presidente para a divisão de Agro e Meio Ambiente da companhia, David Somlo, explica que o mercado estava acostumado a lidar com o risco climático como um dado sistêmico. Para se proteger ele vendia e comercializava a energia até um limite ou guardava uma parcela descontratada diante do risco de não poder entregar a energia vendida. Agora, ele pode quantificar esse risco fora da estrutura normal.

“Temos recebido muita demanda e cotando bastante. Há gerador, comercializador e outros interessados na cadeia para introduzir esse tipo de segurança dentro da operação”, disse ele à Agência CanalEnergia. “Atualmente fazemos a proteção contra a falta ou excesso de vento, seja de forma paramétrica por satélite ou pelos dados do próprio parque”, acrescentou.

O mercado que a empresa coloca no foco é a totalidade dos 17 GW de capacidade já negociadas no país justamente pelo fato de ser a única apólice dessa natureza. Somlo argumenta que assim é proporcionado ao cliente a proteção do seu fluxo de caixa. E isso pode ser aplicado a parques novos ou existentes. “Não há apólice no Brasil para eólica que traga garantia de vento. A grande questão é entender o que o cliente precisa e assim adequar o produto à necessidade. Hoje esse é um mercado totalmente aberto”, explicou.

Já na comercialização a empresa aponta que o cenário de traders de energia têm maturidade clara do que é o risco que eles querem correr, sua margem e o que é o risco que não está dentro da operação. Assim é possível oferecer uma solução em função de produção e preço com base nas informações de mercados mais catastróficos.

A empresa argumenta que o crescimento da geração eólica na matriz energética brasileira cria a necessidade de maior proteção e previsibilidade na operação neste mercado. No caso de parques eólicos, é possível criar uma apólice que indenize o gerador caso os ventos sejam insuficientes ou superiores para a geração projetada.

Com essa proteção outro benefício que a Swiss Re Corporate Solutions Brasil aponta é que ajudam a melhorar a avaliação de crédito das empresas no mercado, uma vez que agências de rating avaliam melhor as companhias que se mostram mais resilientes a essas questões climáticas. E ainda, aponta que o valor da importância segurada nos seguros paramétricos é pré-definido em acordo com o cliente. E afirma que o pagamento da indenização é mais rápido, em geral ocorre entre duas a seis semanas. O prazo de cobertura também pode ser diferente, pois faz parte da especificação realizada junto ao cliente.