Renováveis batem recorde de atratividade no ACL em 2018

Levantamento do Grupo FDR aponta que empresas podem obter grande vantagem ao sair neste momento do ambiente cativo

Da Agência CanalEnergia 
03/01/2019

As empresas aptas a comprar energia no Ambiente de Comercialização Livre (ACL) passam a contar agora com a melhor perspectiva do ano para adquirir megawatts de fontes limpas, como as matrizes eólica, solar e biomassa. Segundo a última edição do Índice Nacional de Atratividade do Mercado Livre para Fontes Limpas de Energia, realizado pela FDR Energia, o mês de dezembro atingiu a média “0,723”, valor superior à antiga melhor nota de novembro, de “0,602”.

Erick Azevedo, sócio diretor do Grupo FDR e coordenador do estudo, atribuiu o resultado à ocorrência de chuvas, que chegaram no tempo certo e mais fortes que o previsto. “A expectativa para 2019 é que o verão chuvoso seja favorável para encher os reservatórios e incentive a migração de empresas que não saíram do mercado cativo em 2018”, completou.

Em dezembro, todos os estados brasileiros alcançaram a melhor média do ano. Em cinco unidades da federação, a nota foi superior a 0,8, que representa alta viabilidade de mudança.  São eles: Tocantins (0,843), Pará (0,829), Espírito Santo (0,813), Goiás (0,810), Rio de Janeiro (0,809) e Amazonas (0,807).

Por sua vez, dezenove estados pontuaram entre 0,6 e 0,8 e foram classificados como de viabilidade boa. Apenas o Amapá (0,504) registrou viabilidade moderada, com avaliação entre 0,4 e 0,6 e manteve-se na lanterna do ranking. Roraima não participa da classificação, pois está fora do Sistema Interligado de Energia.