Petroleira Statoil anuncia primeiro investimento em energia solar no Brasil

Empresa pagou US$ 25 milhões na aquisição de ativos e vai aportar mais US$ 30 milhões no projeto no Ceará

Wagner Freire Da Agência CanalEnergia
04/10/2017

De São Paulo

A petroleira Statoil anunciou na nesta quarta-feira, 4 de outubro, um acordo para adquirir 40% da participação da norueguesa Scatec Solar no empreendimento Apodi, de 162MW, localizado no estado do Ceará. As duas empresas também acordaram uma cooperação exclusiva para desenvolver, em conjunto, futuros projetos de energia solar no Brasil.

A Statoil também irá adquirir 50% de participação na empresa que irá executar o projeto, permitindo-a participar da elaboração e realização de novos projetos em energia solar no futuro. A fase de construção e operações para este projeto será liderada pela Scatec Solar e a Statoil contribuirá com funcionários e serviços do Brasil e da Noruega.

Segundo o comunicado, a Statoil pagará um preço combinado de aquisição de US$ 25 milhões pelo ativo e pela empresa de execução. “O Brasil é um país estratégico para a Statoil, onde nossa ambição é promover um crescimento seguro e sustentável num mercado de energia que é significativo”, disse Irene Rummelhoff, vice-presidente executiva da área de Novas Soluções Energéticas da Statoil.

“Entrar no segmento de energia solar no Brasil reforça nosso portfólio de atividades, que inclui o Campo de Peregrino, além das descobertas de Carcará e Pão de Açúcar, a serem desenvolvidas. Estamos entusiasmados por termos iniciado nosso primeiro projeto solar com um parceiro experiente como a Scatec Solar”, completou Rummelhoff.

Localizado no município de Quixeré, no Estado do Ceará, o empreendimento possui um contrato de compra de energia com duração de 20 anos, obtido em 2015, em um leilão organizado pelo governo brasileiro, com preço de entrega da energia ajustado pela inflação equivalente a 104 US$/MWh em 2017.

A fase de construção do projeto começará neste mês, com o objetivo de fornecer energia elétrica a partir do final de 2018. O investimento total do projeto está estimado em US$ 215 milhões. O projeto solar de Apodi será financiado por empréstimo financeiro (65% do valor) e por recursos próprios dos acionistas (35%), dos quais US$ 30 milhões correspondem à parcela da Statoil. O projeto irá produzir energia suficiente para atender cerca de 160 mil residências.

DIVERSIFICAÇÃO

O investimento em energias renováveis faz parte da estratégia da Statoil de complementar o portfólio de petróleo e gás. “Até então estávamos focados em energia eólica offshore, onde temos uma vantagem competitiva única por conta de nossos 40 anos de atividades de óleo e gás. O projeto Apodi é um primeiro passo para entrarmos no mercado solar e avaliarmos como este segmento pode apresentar oportunidades de crescimento lucrativas e com possibilidade de expansão”, destacou Rummelhoff.

No Brasil, ao longo dos últimos anos, aproximadamente 3,3 GW de projetos solares foram contratados em três leilões consecutivos. A previsão é que mais 7 GW sejam contratados até 2024. ‘’O potencial do setor de energia solar no Brasil é crescente e, em conjunto com a Statoil, estamos aumentando ainda mais as nossas ambições neste mercado. Estamos trazendo para esta parceria um forte histórico como produtor independente de energia solar, enquanto a Statoil tem grande envolvimento e experiência no Brasil por meio de suas outras atividades de energia’’, disse Raymond Carlsen, CEO da Scatec Solar.

A Scatec Solar é um produtor independente de energia solar da Noruega, com usinas em operação produzindo 322 MW de energia. Além disso, a empresa possui em seu portfólio outros importantes projetos de energia solar.

A Statoil já possui um portfólio de fontes renováveis considerável, com uma capacidade de abastecer mais de 1 milhão de casas com energia eólica offshore. A Statoil opera o parque eólico Sheringham Shoal, no Reino Unido, que está em produção desde 2012. O parque eólico offshore Dudgeon, no Reino Unido, também operado pela Statoil – e o primeiro parque eólico offshore flutuante mundial, a Hywind Scotland – começam a produzir em 2017. Em 2016, a Statoil também adquiriu 50% do parque eólico offshore de Arkona, na Alemanha, que entregará energia em 2019.