Para presidente da Eletrobras, Golden Share deve ser usada com cautela

Venda em ano eleitoral não preocupa Wilson Ferreira

Pedro Aurélio Teixeira Da Agência CanalEnergia
20/10/2017

Rio de Janeiro

O mecanismo da Golden Share no processo de privatização da Eletrobras deve ser usado com cautela pelo governo, uma vez que ele pode tirar o valor da empresa. Favorável ao mecanismo, o presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Junior, disse que ele deve observar aspectos como a proibição de venda de determinados ativos, mas desde que não a faça perder valor. “Isso tem que ser olhado pelo governo, o governo sabe que se colocar um monte de poderes, deprecia a companhia. Isso vai ser considerado ao fazer a avaliação. Cogita-se de usar o papel especial para manter todas as subsidiárias da Eletrobras, atividades específicas da Chesf no rio São Francisco, o nome da empresa ou mesmo manter o local da sua sede.

Mesmo com o cronograma apertado, Ferreira Junior acredita que a venda de ações seja concluída no ano que vem, como vem sendo prometido. Mesmo o fato de ser um ano eleitoral, isso não deve ser empecilho. Ainda segundo o executivo, o aumento de capital não está submetido ao período eleitoral, embora o aspecto político seja preponderante. “Estamos trabalhando para deixar a economia preparada até junho”, avisa.

SPEs – O executivo espera que no mês que vem a modelagem de venda das 77 Sociedades de Propósito Específico da Eletrobras seja apresentada. A Eletrobras espera arrecadar cerca de R$ 5 bilhões com a venda dos ativos, que vão de linhas de transmissão a parques eólicos.