MME remarca leilões de reserva para setembro e dezembro

Primeiro certame terá participação apenas de PCH; solar e eólica ficaram para o segundo leilão

Wagner Freire Regulação e Política
28/07/2016

Os leilões de energia de reserva previstos para 29 de julho e 28 de outubro foram remarcados para 23 de setembro e 16 de dezembro, informou o Ministério de Minas e Energia nesta quinta-feira, 28 de julho, conforme Portaria n° 390 publicada no Diário Oficial da União.


Com a nova redação, o primeiro leilão de energia de reserva contratará apenas pequenas centrais hidrelétricas, deixando de fora a fonte solar. Os novos contratos terão início de suprimento em 1° de março de 2020. Para esse certame, a Empresa de Pesquisa Energética havia credenciado 428 projetos, totalizando 10.195 MW de potência instalada, sendo 9.210 MW de fonte solar e 985 MW de fonte hídrica (PCH e CGH).

No final de julho, o MME confirmou o adiamento do primeiro leilão de energia de reserva, previsto para acontecer nesta sexta-feira, 29 de julho. Como o governo não remarcou a nova data do LER, havia a expectativa que talvez o MME não promoveria mais o certame. As associações que representam os geradores, porém, demonstraram preocupação com a notícia, alegando que deixar de contratar novos projetos esse ano poderiam prejudicar a indústria do setor elétrico.

Já o segundo leilão de reserva, agora remarcado para 16 de dezembro, visa contratação de fonte solar fotovoltaica e eólica, com início de suprimento em 1° de julho de 2019. A principal alteração foi no prazo final para a entrega de documentos, que passou de 1º de julho para até às 12h do dia 8 de agosto. Para este certame, a EPE cadastrou 33.225 MW de capacidade instalada, sendo 6.216 MW de fonte eólica e 2.855 MW de projetos fotovoltaicos.