MME enquadra EOLs da Ômega Geração junto ao Reidi

Ministério também confirmou projetos de transmissão relativos ao Lote 20 e 12 do leilão 02/2018 da Aneel e da CGH Igrejinha (RS)

Agência CanalEnergia 
27/02/2019

O Ministério de Minas e Energia aprovou o enquadramento ao Regime Especial de Incentivos ao Desenvolvimento da Infraestrutura de três projetos de geração eólica de posse da Ômega Geração: Delta 7 I, II e III. O primeiro, orçada em R$ 111,3 milhões, sem impostos, compreende dez aerogeradores de 2,7 MW, somando 27,2 MW de capacidade instalada. A segunda usina abarca 13 unidades geradoras de mesma potência, totalizando 35,3 MW e com um investimento estimado de cerca de R$ 150,5 milhões, sem a incidência de impostos. A EOL Delta 7 III também foi contemplada com mesmo número de turbinas e capacidade liberada, mas com um aporte necessário de R$ 140,9 milhões, sem contar as taxas. O período de execução de ambos os empreendimentos, localizados em Paulino Neves, no Maranhão, é de janeiro deste ano até dezembro de 2020.

O Ministério também acatou a solicitação da Solaris Transmissão de Energia e confirmou junto ao Reidi o projeto de Transmissão correspondente ao Lote 20 do segundo leilão de 2018 da Aneel, que compreende as LTs Janaúba 3 – Jaíba, em 230 kV, Circuito Duplo e Pirapora 2 – Três Marias, em 345 kV, Circuito Simples, além das subestações Jaíba e Janaúba e outras obras de adequação. O período de execução das obras, orçado em R$ 302,1 milhões, livre de taxas, vai de novembro do ano passado até janeiro de 2024.

A Goyaz Transmissão de Energia também recebeu o parecer do MME quanto a exploração do Lote 12, através da LT Edéia – Cachoeira Dourada, em 230 kV, Circuito Simples, do pátio novo em 345 kV na Subestação Pirineus e à aquisição de um Compensador Estático no Setor de 230 kV da SE Barro Alto. Segundo o cronograma, as obras estão previstas para acontecer entre novembro de 2018 até março de 2023, angariando aproximadamente R$ 252,7 milhões em recursos, sem levar em consideração a incidência de tributos.

Outra obra autorizada ao Reidi pelo Ministério é de titularidade Boa Vista do Cadeado Energia e refere-se à construção da CGH Igrejinha, constituída por duas turbinas de 2,4 MW e que totaliza 4,8 MW de potência em Boa Vista do Cadeado, no Rio Grande do Sul. O prazo de execução do projeto vai de março do ano passado até junho de 2020 e irá requerer R$ 27,9 milhões em investimentos, livre de impostos. As decisões acima referem-se às portarias nº 39, 40, 41, 42, 43 e 44 publicadas no portal do MME e no Diário Oficial da União.