Mercado fio da Copel-D aumenta 2% no 1º semestre

Comercialização total de energia da Copel ficou 5,9% menor do que no primeiro semestre de 2016

Da Agência CanalEnergia 
28/07/2017

O mercado fio da Copel Distribuição, composto pelo mercado cativo, pelo suprimento a concessionárias e permissionárias dentro do Estado do Paraná e pela totalidade dos consumidores livres existentes na sua área de concessão, apresentou crescimento de 0,5% no segundo trimestre do ano. A variação anual é ainda maior, com crescimento de 2% no acumulado dos seis primeiros meses de 2017, para 14.650 GWh.

O mercado cativo vem apresentando desempenhos negativos. A venda de energia nesse ambiente totalizou 4.813 GWh na base trimestral, queda de 17,3%, explicado pela redução do consumo das classes industrial e comercial, devido, principalmente, à migração de clientes para o mercado livre. Este por sua vez apresentou crescimento de 92,5%. No ano o ACR caiu 14,3% enquanto o ACL apresentou aumento de 95%.

A classe residencial consumiu 1.710 GWh entre abril e junho de 2017, registrando redução de 2,4% em função do menor consumo médio mensal dos clientes. Essa redução no consumo é resultado do registro de temperaturas mais amenas em relação ao mesmo período de 2016 e do acionamento da bandeira vermelha nos meses de abril e maio desse ano, bem como a situação econômica adversa, apontou a concessionária.

Já a classe industrial no mercado cativo registrou queda de 49% no segundo trimestre de 2017, totalizando 828 GWh, reflexo, principalmente, da migração de clientes para o mercado livre. Entre julho de 2016 e junho de 2017, 376 clientes deixaram o mercado cativo industrial da Copel-D representando o consumo de 827 GWh no trimestre.

A classe comercial consumiu 1.106 GWh no segundo trimestre de 2017, redução de 13,9% em comparação com o segundo trimestre de 2016. Esse desempenho foi influenciado pela migração de 262 clientes para o mercado livre entre julho de 2016 e junho de 2017 os quais  correspondem a um consumo médio de 161 GWh no trimestre, e pelo cenário econômico, decorrente da retração no volume de vendas do comércio varejista na comparação com o mesmo trimestre de 2016. A classe rural registrou acréscimo de 1,1% no consumo no segundo trimestre de 2017, totalizando 558 GWh.

O fornecimento de energia elétrica da Copel, que representa o volume de energia vendido aos consumidores finais e é composto pelas vendas no mercado cativo da Copel Distribuição e pelas vendas no mercado livre da Copel Geração e Transmissão e da Copel Comercialização, registrou queda de 8% entre abril e junho de 2017. No acumulado do semestre esse índice é negativo em 6,8%.

Por sua vez, o total de energia vendida pela Copel, composto pelas vendas da distribuidora, da Copel-GT, dos Complexos Eólicos e da Copel Comercialização em todos os mercados, atingiu 10.621 GWh no segundo trimestre de 2017, representando uma queda de 5,1%. No acumulado do primeiro semestre o indicador é um pouco pior com queda de 5,9%, ao registrar um volume de 20.974 GWh.