Leilão A-4 tem início

Empreendimentos contratados precisam entrar em operação a partir de janeiro de 2023

Da Agência CanalEnergia 
28/06/2019

O Governo realiza nesta sexta-feira, 28 de junho, leilão de energia para contratação de novas usinas de fontes solar, eólica, hidrelétrica e biomassa. A expectativa é de baixa contração e muita competição entre os participantes vendedores. Os empreendimentos contratados precisam entrar em operação a partir de janeiro de 2023. Serão oferecidos contratos de 20 e 30 anos. Para este leilão, a Empresa de Pesquisa Energética (EPE) recebeu 1.581 projetos, totalizando 51,2 mil MW de potência instalada.

O leilão realizado em São Paulo, na sede da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), acontecerá em ordem decrescente, vencendo quem oferecer o menor preço. O certame é divido em duas fases, sendo que na primeira os empreendedores disputam a oportunidade de acesso ao sistema de escoamento de energia. Na segunda fase serão feitas as propostas com os montantes de energia a serem vendidos.

Este será o segundo leilão de energia elétrica do governo do presidente Jair Bolsonaro e do ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque. O primeiro foi realizado em maio, com a contração de energia exclusiva para o estado de Roraima. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) é responsável pela realização do leilão.

Confira abaixo os preços-teto definidos para o leilão: Custo Marginal de Referência do leilão: R$ 311,00/MWh;

Produto Quantidade (empreendimento hidrelétrico): R$ 288,00/MWh;

Produto Quantidade Eólica: R$ 208,00/MWh;

Produtor Quantidade Solar: R$ 276,00/MWh;

Produto Disponibilidade Termoelétrica a Biomassa: R$ 311,00/MWh