Honda Energy deixa de emitir 15 mil toneladas de CO2

Para reduzir emissões de carbono, empresa diversificou matriz energética e apostou em energia eólica

Da Agência CanalEnergia 
27/06/2017

A Honda Energy vem consolidando seu compromisso com o meio ambiente e com os esforços por uma sociedade livre do carbono. Em mais uma iniciativa bem-sucedida na incorporação de energia renovável ao processo produtivo dos automóveis, o Parque Eólico do grupo registrou que mais de 15 mil toneladas de volume de CO2 deixaram de ser emitidos na atmosfera. O projeto ressalta a mensagem positiva sobre a viabilidade de processos produtivos sustentáveis dentro de um setor severamente criticado pelas emissões.

O parque eólico da Honda foi construído para atender a meta global de redução de 30% nas emissões de gás carbônico de seus automóveis, motocicletas, produtos de força e também de seus processos produtivos em todo o mundo até 2020. A operação brasileira superou o objetivo e reduziu, já no primeiro ano de funcionamento do parque, 50% do estipulado.

Em todas as unidades da Honda no mundo, o nível de CO2 emitido é constantemente monitorado, com planos de melhoria contínua. Os conceitos de Green Factory, Green Logistic, Green Dealer e Green Office adotados pela empresa consolidam ações de redução dos impactos ambientais em toda a cadeia produtiva, desde seus fornecedores, passando pelas fábricas e transporte de seus produtos até a rede de concessionárias.

Imbuída na busca de soluções do uso eficaz de recursos renováveis, o grupo diversificou sua matriz energética e escolheu apostar na energia eólica, que apresenta um dos menores índices de emissão de gases poluentes e é favorecida pela boa disponibilidade de ventos no país, sobretudo nas áreas litorâneas e montanhosas.

A geração de energia do parque eólico, que já está acumulada em 171.514 MW, supre as atividades da fábrica de automóveis da empresa, os escritórios da marca nas cidades de Sumaré e São Paulo, além do centro logístico da LSL Transportes, empresa coligada, localizada em Paulínia, responsável pelas operações de movimentação de materiais e abastecimento das linhas de montagem.

O parque conta com nove aerogeradores, resultando em uma capacidade total de 27,7MWh. Em uso pleno, considerando condições estáveis do vento durante o ano todo, o empreendimento alcança a geração de 85.000 MW/ano. Os equipamentos são um dos maiores do país, com cada torre tendo capacidade individual de 3MW, 94 metros de altura e o ponto mais alto do conjunto alcança 150 metros. As 27 pás, por sua vez, possuem 55 metros e 15 toneladas cada.