Engie aprova captação de até R$ 4,65 bilhões

Recursos serão usados para pagamento de outorga de UHEs Jaguara e Miranda, financiar o plano de negócios e contratar derivativos para hedge

Maurício Godoi Da Agência CanalEnergia
17/11/2017

De São Paulo

O conselho de administração da Engie Brasil Energia aprovou no final de outubro a captação de R$ 2,15 bilhões para o pagamento de parcela da bonificação de outorga das UHEs Miranda e Jaguara, arrematadas pela companhia em 27 de setembro no leilão que colocou em disputa as 4 usinas devolvidas pela Cemig no âmbito da 12.783/2013.

Desse montante até R$ 800 milhões serão destinados à Companhia Energética Miranda e até R$ 1,35 bilhão será destinado à Companhia Energética Jaguara. essa captação se dará por meio de emissão de Notas Promissórias que serão objeto de distribuição pública, com esforços restritos, nos termos da Lei n.º 6.385, de 7 de dezembro de 1976.

A Engie ficou com a UHE Jaguara (424 MW, MG) ao ofertar um lance de R$ 2,17 bilhões, ágio de 13,59% ante o valor mínimo de outorga estipulado pelo governo federal que era de R$ 1,9 bilhão. A outra usina, a UHE Miranda (408 MW, MG) foi arrematada por R$ 1,36 bilhão, ágio de 22,42% sobre o montante mínimo de bonificação exigido pelo governo de R$ 1,1 bilhão.

Nessa mesma reunião o conselho da geradora aprovou, por unanimidade, a negociação e contratação de uma ou mais operações de crédito em moeda externa, na modalidade da Lei n.º 4.131/62 e respectiva operação de swap para CDI, a um custo considerado adequado pela Administração, de até US$ 530 milhões, valor  equivalente a aproximadamente R$ 1,7 bilhão para financiar a implementação do plano de negócios da companhia. E ainda contratar instrumentos derivativos para fins de hedge de indexador de dívida de longo prazo da companhia, de CDI para IPCA, em até R$ 800 milhões.

Investimentos

Os membros do conselho aprovaram ainda a negociação com a GE Energias Renováveis para modernização das unidades geradoras da UHE Salto Osório (1.078 MW, PR) bem como a troca dos rotores das turbinas das UG 5 e 6. O valor não foi revelado. O grupo deliberou ainda pela aprovação do investimento no complexo eólico Umburanas (605 MW, BA), recém adquirido junto à Renova Energia por R$ 15 milhões. O aporte está condicionado ao fechamento da operação de aquisição das SPEs e dos direitos de desenvolvimento associados ao projeto.