Custo do Proinfa em 2017 será de R$ 3,3 bilhões

Cotas do programa são pagas por consumidores livres e cativos do SIN

Sueli Montenegro Regulação e Política
13/12/2016

As cotas de custeio do Programa de Incentivo às Fontes Alternativas de Energia Elétrica somarão R$ 3,3 bilhões em 2017. Já quantidade de energia produzida pelas 131 usinas  participantes do Proinfa é estimada em 11,2 milhões MWh. O programa destinado a ampliar a participação das energias renováveis na matriz elétrica foi criado em 2002, após o racionamento. Ele é composto por 60 pequenas centrais hidrelétricas, 52 eólicas e 19 térmicas a biomassa.

Do valor total definido para o ano que vem, R$ 3,04 bilhões serão recolhidos em cotas mensais pelas distribuidoras, R$ 247,4 milhões pelas transmissoras e R$ 23,7 milhões por cooperativas de eletrificação enquadradas como permissionárias de distribuição de energia elétrica. As cotas foram estabelecidas com base no mercado verificado no Sistema Interligado entre setembro de 2015 e agosto de 2016.

O custo do Proinfa é estabelecido no Plano Anual  elaborado pela Eletrobras, responsável pela contratação da energia das usinas. O programa é bancado por consumidores livres e cativos do SIN, à exceção dos consumidores de baixa renda. Os valores de 2017 foram aprovados pela Agência Nacional de Energia Elétrica nesta terça-feira, 13 de dezembro.