CP33 não está morta e nem é temida, diz diretor da EPE

Erik Rego disse que as propostas da Consulta Pública 33 são a base da modernização do setor elétrico

 
28/05/2019

O diretor de Energia Elétrica da Empresa de Pesquisa Energética, Erik Eduardo Rego, foi enfático ao dizer que as propostas de modernização do setor elétrico, reunidas na Consulta Pública 33 durante o governo de Michel Temer, não foram descartadas pela nova gestão do Ministério de Minas e Energia.

A resposta veio em meio a uma provocação feita por um dos responsáveis pela CP33, o ex-presidente da EPE Luiz Barroso e atual presidente da consultoria internacional PSR. Barroso foi moderador de um dos painéis do maior evento de energia eólica da América Latina, Brazil Windpower, realizado nesta terça-feira, 28 de maio. Barroso comentava sobre a proposta de criar um Certificado de Energias Limpas e disse que esse tema estava na “falecida CP33”.

“A CP 33 não é temida e nem está morta. A portaria 187/19 é a base conceitual é a CP 33 e esse trabalho está tendo continuidade”, disse Erik Rego.

A polêmica é relevante porque o mercado aguarda ansioso pela modernização do setor elétrico, porém o novo ministro, Bento Albuquerque, entendeu que era necessário de mais um prazo para avaliar as propostas. A modernização do setor passou a ser discutida mais intensamente a partir de 2016.

Da Agência CanalEnergia