Copel lucra R$ 151 milhões no segundo trimestre de 2017

Resultado é 84,9% menor que o do ano passado. Investimentos no semestre chegaram a R$ 1,2 bilhão

Pedro Aurélio Teixeira Da AgênciaCanalEnergia
11/08/2017

A Copel terminou o segundo trimestre de 2017 com lucro líquido de R$ 151 milhões. A empresa divulgou seus resultados financeiros na última quinta-feira, 10 de agosto. O lucro é 84,9% menor que o do mesmo trimestre de 2016. A receita líquida operacional no período ficou em R$ 3,1 bilhões, recuando 16,7%.  De acordo com a Copel, a queda é explicada pelo registro de não recorrentes no período, como o reconhecimento da recontagem do fluxo de caixa da RBSE e registro de reversão de provisões. O Ebitda da estatal paranaense é de R$ 707,2 milhões no trimestre, registando uma queda de 57,3% na comparação com segundo trimestre de 2016, que ficou em R$ 1,6 bilhão. Os investimentos da Copel no segundo trimestre do ano chegaram a R$ 641,8 milhões, ficando abaixo dos R$ 935,2 milhões do segundo trimestre de 2016.

No semestre, o lucro da Copel chegou a R$ 568,3 milhões, caindo 49,8% na comparação com o primeiro semestre de 2016. A receita líquida no período ficou em R$ 6,4 bilhões, pouco menor que os R$ 6,8 bilhões do mesmo período do ano passado. O Ebitda no semestre ficou em R$ 1,7 bilhão, valor 21,9% menor que os R$ 2,1 bilhões que registrou em 2016. No semestre, os investimentos de R$ 1,2 bilhão representaram uma baixa de 33,8%.

O fornecimento de energia no segundo trimestre do ano chegou a 6,2 GWh, o que significa uma baixa de 8% em relação ao segundo trimestre de 2016. Já no semestre, o fornecimento caiu 6,8%, ficando em 12,7 GWh.

De acordo com a Copel, a UHE Colíder (MT) está com 93% das obras concluídas. Estão em andamento a fabricação de equipamentos e as montagens eletromecânicas da Usina, sendo que a primeira unidade geradora está em sua fase final de montagem. Em junho, entraram em operação os quatro parques que compõem o Complexo Eólico de São Miguel do Gostoso I foram conectados ao Sistema Interligado Nacional. Outro ativo que entrou em operação foi a LT Assis – Londrina. A LT passa por sete cidades do Paraná e duas de São Paulo, tem 120 km de extensão e permitirá maior intercâmbio de energia entre as regiões Sul e Sudeste/Centro-Oeste.