Chinesa pode assumir projetos de transmissão da Eletrosul no Brasil

Operação é bem-vista pelo governo, pois o cronograma das obras que vão interligar eólicas no RS já está comprometido em 12 meses, segundo o MME

Wagner Freire Negócios e Empresas
06/01/2017

A multinacional chinesa do setor de energia Shanghai Electric está perto de fechar um acordo com a Eletrosul, subsidiária da Eletrobras, para assumir a responsabilidade de construir um importante conjunto de sistema de transmissão que permitirá o escoamento de usinas eólicas no Rio Grande do Sul. A operação é tratada como uma transferência de projeto, uma vez que o ativo ainda precisa ser construído para gerar receita. Por conta disso, a Eletrosul não deverá receber nenhum pagamento. 

Em nota, a estatal informou que "as negociações com a empresa chinesa Shanghai Electric prosseguem e os termos dessa parceria estão sendo definidos para a viabilização dos empreendimentos de transmissão que integram o lote A do leilão 004/2014 da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel)."

A subsidiária da Eletrobras esclareceu ainda que essa negociação resulta de uma proposta apresentada pela Shanghai Electric em Chamada Pública, que prevê a transferência integral do lote A, ou seja, 100% do empreendimento à empresa. "Em etapa posterior, a Eletrosul poderá assumir participação acionária de até 25%."

Os empreendimentos do lote A compreendem a interligação do potencial eólico do Rio Grande do Sul por meio de 2,1 mil quilômetros de linhas de transmissão, oito subestações e ampliação de 13 unidades existentes, com investimento estimado em 2014 em R$ 3,27 bilhões.

A operação é vista com bons olhos pelas autoridades do setor elétrico brasileiro e por governantes do Rio Grande do Sul, uma vez que o cronograma da obra já está comprometido. Por contrato, a obra deveria ficar pronta em março de 2018. Porém, a Agência CanalEnergia apurou que o Ministério de Minas e Energia (MME) já trabalha com um atraso de 12 meses.

"Tendo em vista contato telefônico com a Eletrosul, a qual já estima um possível atraso de cerca de 9 meses devido ao processo de negociação com novos parceiros para o empreendimento pela Chamada Pública em andamento, resulta numa nova data de tendência", aponta o relatório de monitoramento da expansão da transmissão atualizado no final de novembro de 2016.

A expectativa é que o negócio seja concluído ainda no primeiro trimestre deste ano. Enquanto isso não se resolver, a Eletrosul está envidando esforço para dar continuidade ao processo de licenciamento dos projetos. "Paralelamente, prossegue o processo de obtenção das licenças necessárias junto aos órgãos responsáveis", relatou a companhia.

A subsidiária Eletrobras tem buscado parceiros para tocar seus projetos em meio a dificuldades financeiras e menor disponibilidade de crédito no mercado para fazer frente aos investimentos no país. A holding tem coordenado as ações para reduzir o endividamento de suas subsidiárias por meio da venda de ativos e da redução de investimentos.