Brasil pode desempenhar papel de destaque no segmento de energia renovável, aponta Irena

Diretor geral da associação classificou como inovadoras as políticas pra acelerar a implantação dessas fontes

Maurício Godoi Da Agência Canal Energia
02/02/2018

De São Paulo

O diretor-geral da Agência Internacional de Energia Renovável (Irena, na sigla em inglês), Adnan Z. Amin, agradeceu a decisão do Brasil de iniciar o processo de adesão à organização. Em comunicado, o executivo avaliou que essa ação do país reflete o forte compromisso com o multilateralismo e a energia sustentável. Ele destacou em nota que o país é um pioneiro em bioenergia e um dos líderes em energia eólica e hidrelétrica na América Latina, e ainda que possui um portfólio vasto, diversificado e crescente de energia renovável que o posiciona para desempenhar um papel fundamental na transformação global de energia. Em sua visão a energia renovável não só ajudará a atender a demanda de energia do Brasil, mas também impulsionará o crescimento econômico e criará oportunidades de emprego. Ele afirmou ainda que espera o envolvimento ativo do Brasil com a agência. Isso porque a experiência brasileira e as políticas que ele classificou como inovadoras para acelerar a implantação de energia renovável, são de grande valor para a cooperação internacional. Ao mesmo tempo, o compartilhamento de conhecimento e o intercâmbio de melhores práticas através da plataforma global e inclusiva da entidade apoiarão os esforços do Brasil para alcançar um futuro de energia sustentável. No início do ano o governo brasileiro notificou a agência de que está começando o procedimento formal de adesão para se tornar membro de pleno direito da entidade. Com isso, a Irena está se aproximando de 181 membros universais 181 países mais a União Europeia.