BNDES deve trazer agente privado para financiamento

Prestes a divulgar novas regras para projetos de energia, banco deve manter condições atuais para eólicas

Pedro Aurélio Teixeira Investimentos e Finanças
30/08/2016

Tido como um dos grandes desafios do setor elétrico e também do setor eólico, o financiamento aos projetos de energia deve ter as suas regras definidas nos próximos dias. De acordo com a presidente executiva da Associação Brasileira da Indústria Eólica, Élbia Gannoum, em duas semanas o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social deve apresentar o seu pacote de regras. Segundo ela, a presidente do banco, Maria Silvia Bastos Marques, já teria revelado que as condições existentes para projetos eólicos devem se manter, porém ajustes seriam feitos no sentido de trazer os bancos comerciais. "Eles querem o mercado no financiamento do setor", avisou.

A presidente elogiou a disposição da nova direção do banco de manter as condições para energia renovável. Segundo ela, é preciso que se trabalhe com os bancos comerciais para que o financiamento da infraestrutura no país fique mais pujante. Hoje a figura do BNDES é muito forte, deixando o governo federal como único protagonista. Ela considera que a nova meta é possível. Embora com um número pequeno de bancos comerciais no país, são instituições com muito capital e com bastante capacidade de financiamento.

Ela considera a entrada do agente privado no financiamento como fundamental para o desenvolvimento da infraestrutura no país, saindo da opção única do agente público BNDES. "Hoje o que mais prende esses bancos é que não há um sinal de longo prazo. A partir do momento que se cria uma sinalização para que eles entrem e permaneçam, nós vamos entrar em trajetória de crescimento desse mercado", aponta.