Alupar eleva captação para R$ 833,5 milhões após excesso de demanda

Ações serão negociadas na próxima quinta-feira, 6 de março, na BM&FBovespa; preço da Unit foi fixado em R$ 19,50

Wagner Freire Investimentos e Finanças
05/04/2017

A menos de 20 dias do próximo leilão de transmissão, marcado para 24 de abril, a Alupar se prepara para fazer um aumento de capital maior do que foi orginalmente previsto. A empresa previa captar R$ 716,7 milhões, porém a oferta inicial foi ampliada em 15% para atender o excesso de demanda verificada durante o procedimento de coleta de intenções de investimento junto a investidores (Bookbuilding). Com isso, a empresa deverá captar R$ 833,5 milhões por meio da emissão primária de 45.520.639 ações ordinárias e 82.704.360 ações preferenciais. Ações serão negociadas na próxima quinta-feira, 6 de abril, na BM&FBovespa, agora B3. 

O preço da Unit foi fixado em R$ 19,50 ante a R$ 19,28 inicialmente previsto, segundo fato relevante publicado na Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Cada Unit é formada por uma ação ordinária (com direito a voto) e duas ações preferências. A controladora Guarupart, da família Godoi Pereira, que detém 61% de participação na Alupar, informou que não vai participar do aumento de capital. A oferta pública terá esforços restritos para colocação de ações no Brasil e no exterior. O banco Santander está coordenando a operação. O segundo maior acionista da Alupar é o FI- FGTS, gerido pela Caixa Econômica Federal, com 14,05%.

A captação de recursos por meio de oferta pública primária de ações em bolsa de valores ganhou folego neste ano, após ficar praticamente parada desde 2014. A Alupar informou que os recursos provenientes do aumento de capital serão utilizados para investimentos nos segmentos de linhas de transmissão e geração de energia elétrica, seja por meio da obtenção de novas concessões, seja por meio de aquisição de participação em empreendimentos nos quais empresa já possuí, seja por meio da aquisição de novos empreendimentos (M&A) disponíveis no mercado. Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o leilão de transmissão de 24 de abril irá ofertar 7.400 km em linhas que vão demandar R$ 13,1 bilhões em investimentos.

A Alupar possui participação em concessões de 26 sistemas de transmissão de energia elétrica, totalizando 6.788 km de linhas, localizados no Brasil e na Colômbia, sendo 18 operacionais e oito em fase de implantação, que possuem cronograma de entrada em operação comercial entre 2018 e 2022. Em geração, por meio de hidrelétricas, PCHs e parques eólicos, no Brasil, Colômbia e Peru, possuí capacidade instalada de 550,0 MW em operação e 137,0 MW em implantação.

Em 2016, lucro líquido da concessionária totalizou R$ 307,3 milhões, 81,1% superior aos R$ 169,7 milhões apurados em 2015. A receita líquida da Alupar atingiu R$ 1,58 bilhão, 11,8% superior aos R$ 1,41 bilhão apurado em 2015. A geração de caixa medida pelo Ebitda (lucro antes de impostos, juros, amortizações e depreciações) terminou o ano de 2016 com R$ 1,39 bilhão, 20,2% superior aos R$ 1,16 bilhão apurado em 2015. Às 10h34, as ações da Alupar (ALUP11) estavam sendo negociadas com alta de 0,02%, a R$ 20,47.