AIE: investimentos em energia caem 8% em 2015

Queda se deu no segmento de óleo e gás. Aportes foram maiores em renováveis

Carolina Medeiros Investimentos e Finanças
14/09/2016

Os investimentos em energia de uma forma geral apresentaram uma queda de 8% em 2015, quando alcançaram US$ 1,8 trilhão, antes US$ 2 trilhões de 2014, de acordo com relatório da Agência Internacional de Energia. A queda se deu no segmento de óleo e gás, enquanto os investimentos em energia limpa, redes inteligentes e eficiência energética continuam a todo o vapor. Isso mostra que o sistema de energia está passando por uma reorientação dos investimentos, que estão indo em direção a energia de baixo carbono e eficiência. Mesmo assim, os investimentos em tecnologias limpas precisam aumentar para colocar a economia mundial em sintonia com o clima.

"Vemos uma grande mudança com os gastos indo em direção às energias limpas, muitas vezes como resultado de políticas governamentais", disse o diretor executivo da AIE, Fatih Birol. "Nosso relatório mostra claramente que as medidas governamentais podem funcionar e são a chave para uma transição energética de sucesso", continuou. Com gastos da ordem de US$ 315 bilhões, a China foi novamente a maior investidora em energia no ano passado, com investimentos robustos na construção de geração de baixo carbono e em redes de eletricidade, assim como na implementação de políticas de eficiência energética. Já o investimento dos Estados Unidos caiu para US$ 280 bilhões em 2015 devido aos preços baixos do petróleo, entre outros.

Somente em energias renováveis os investimentos totalizaram US$ 313 bilhões no ano passado, correspondendo a cerca de um quinto do total de gastos com energia. As inovações tecnológicas também impulsionaram os investimentos em redes inteligentes e armazenamento de energia, que devem desempenhar um papel crucial, segundo a AIE, na integração das energias eólica e solar. No caso do gás, o investimento global teve uma redução de quase 40%, enquanto em eficiência energética, subiu 6%.