AIE: capacidade instalada de renováveis no mundo crescerá 43% até 2022

Previsão é que a eólica e a solar fotovoltaica alcancem um crescimento de cerca de 1.000 MW nos próximos cinco anos

Da Agência CanalEnergia 
04/10/2017

As fontes renováveis de energia, em especial a solar fotovoltaica mas também a eólica, permanecerão apresentando um forte crescimento nos próximos anos, aumentando a capacidade instalada mundial em 43% até o ano de 2022. A indicação consta do relatório Renewables 2017, divulgado nesta quarta-feira, 4 de outubro, pela Agência Internacional de Energia. No ano passado, impulsionados pelo aquecido mercado fotovoltaico, as energias renováveis ​​representaram quase dois terços da nova capacidade de energia em todo o mundo, com quase 165 GW instalados.

De acordo com o diretor-executivo da AIE, Fatih Birol, a previsão é que as renováveis alcancem um crescimento de cerca de 1.000 MW até 2022, o que equivale a cerca de metade da atual capacidade global de energia do carvão viabilizada ao longo de 80 anos. O dirigente acredita que o salta de capacidade da solar fotovoltaica seja, nos próximos cinco anos, maior do que o crescimento de qualquer outra tecnologia renovável. China, Índia e Estados Unidos vão representar dois terços da expansão renovável global até 2022, de acordo com o relatório divulgado hoje.

Do ponto de vista da produção, a expectativa é que as renováveis cresçam mais de um terço até 2022, para mais de 8.000 TWh – o que equivale ao consumo total de energia da China, Índia e Alemanha combinados. Até lá, as energias renováveis ​​representarão 30% da geração global, acima de 24% em 2016. O estudo mostra ainda que o crescimento da geração renovável será duas vezes maior que o do gás natural e do carvão combinados. Apesar das projeções altas, o carvão continuará a ser a maior fonte de geração de eletricidade em 2022.

O trabalho aponta que a China permanecerá liderando a expansão renovável durante o período de previsão, com mais de 360 ​​GW de capacidade acrescida, ou 40% do total global. O crescimento das energias renováveis ​​da China é, em grande parte, impulsionado pelas preocupações com a forte poluição atmosférica do país e com as metas de capacidade que foram delineadas no 13º plano quinquenal do país até 2020. A China já superou a meta de energia solar prevista para 2020 com antecedência de três anos, apesar dos desafios com subídios e redes.

No caso dos Estados Unidos, segundo maior mercado de renováveis, as incertezas políticas em nível federal representam riscos para a essa posição do país. O estudo alerta que a incerteza atual sobre as propostas de reformas fiscais federais, comércio internacional e políticas energéticas poderia alterar a atratividade econômica das energias renováveis ​​e prejudicar seu crescimento ao longo do período de previsão. Na Índia, a capacidade renovável dobrará até 2022, alta suficiente para ultrapassar a expansão renovável na União Européia pela primeira vez.