AES Tietê Energia faz proposta de R$ 650 milhões por Alto Sertão II

Acordo ainda precisa ser avaliado pelo conselho de administração da Renova, mas Light já orientou voto de seus membros pela venda

Mauricio Godoi Negócios e Empresas
13/01/2017

A Renova e AES Tietê Energia confirmaram nesta sexta-feira, 13 de janeiro, o fechamento de acordo para a venda dos parques eólicos do Complexo Alto Sertão II da primeira para a segunda. A oferta de aquisição é de R$ 650 milhões e ainda depende de aprovação do conselho de administração da geradora que é controlada pela Cemig. Outra parcela do acordo prevê a exclusividade por 45 dias à geradora do Grupo AES Brasil para a compra e venda de ações da Renova Eólica Participações ou da Nova Energia Holding, sociedades que controlam as 15 SPEs que formam os parques alvo da aquisição. Esse preço está sujeito a ajustes que foram classificados em Fato Relevante como usuais em operações dessa natureza. Bem como análise de órgãos responsáveis como o Cade.

Faz parte do processo ainda a conclusão de auditoria legal feita pela AES Tietê e que está em andamento, aprovações societárias e prévia dos credores dos ativos a serem comprados. O complexo eólico tem 386 MW de capacidade instalada e 181,6 MW médios de garantia física de energia contratada por 20 anos por meio de leilões de energia nova realizados em 2010 e 2011 e está localizado em Caetité (BA).

De acordo com a AES Tietê Energia, essa aquisição contribuirá para a estratégia de crescimento da companhia de chega até a 2020 com 50% de seu resultado ebitda (antes de juros, impostos, depreciação e amortização) originados de fontes não hidráulicas com contratos regulados.

Esse negócio já ganhou uma parcela favorável a sua conclusão. A Light divulgou na mesma data outro fato relevante no qual orientou o voto de seus membros no conselho da Renova a aprovar a venda. A Light Energia detém 20,28% do capital votante da Renova. Outros acionistas que compõem o bloco de controle são a RR Participações com 17,73% e a Cemig com 44,18% perfazendo um total de 82,19% das ações ON emitidas pela companhia e 63,54% do capital total.