Índice FDR aponta crescimento na atratividade das fontes renováveis no Pará e ES

Estudo revela que os estados ganharam competitividade para migração ao Ambiente de Contratação Livre (ACL) em agosto

Da Agência CanalEnergia 
23/08/2017

A FDR Energia anunciou na última terça-feira, 22 de agosto, a conclusão do Índice Nacional de Atratividade do Mercado Livre para Fontes Limpas de Energia do mês de agosto. O levantamento indica que os estados do Pará com a nota “0,650” e Espírito Santo com “0,613”, passaram de uma viabilidade moderada para boa de migração para o Ambiente de Contratação Livre (ACL).

O mapa exclusivo também destaca os 15 estados mais atrativos: Tocantins, Rio de Janeiro, Mato Grosso, Paraná, Mato Grosso do Sul, Amazonas, Santa Catarina, Rondônia, Distrito Federal, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Ceará e São Paulo.

O índice, tal qual o modelo do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), elaborado pela ONU, é calculado em um intervalo de “0,000”, para a menor atratividade) e “1,000” para a maior atratividade. O valor médio do índice da FDR Energia para todo o Brasil ficou em “0517” no mês de agosto de 2017.

Os números foram calculados com base no preço médio comercializado no mercado livre entre as fontes incentivadas, energia proveniente de pequenas centrais hidrelétricas e usinas eólicas, solares e de biomassa, comparadas com as tarifas de distribuidoras que representam 98% do mercado cativo brasileiro.

Em linhas gerais, pode-se considerar que valores no índice abaixo de 0,4 como inviáveis financeiramente para migração para o ACL. Entre 0,4 e 0,6, com viabilidade moderada. Entre 0,6 e 0,8, boa viabilidade. Acima de 0,8, com alta viabilidade.