TÜV Rheinland fecha parceria com a Absolar

Multinacional busca atuar em favor do crescimento da energia solar no Brasil, oferecendo conhecimento específico em ensaios fotovoltaicos e certificações de equipamentos

Da Agência CanalEnergia 
25/07/2018

A TÜV Rheinland Brasil, subsidiária de um dos maiores grupos mundiais de certificação, inspeção, gerenciamento de projetos e treinamentos, firmou uma parceria com a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica – Absolar, com o objetivo de atuar em favor do crescimento do mercado fotovoltaico no país.

“Buscamos essa associação com o intuito de nos aproximarmos cada vez mais da indústria solar brasileira, no sentido dos fabricantes de componentes fotovoltaicos. A ideia é disseminar o que nossa corporação faz no mundo e aplicar aqui no Brasil”, definiu o gerente da área de Energia Solar da TÜV Rheinland, Robynson Molinari.

Com a parceria, a multinacional, que possui mais de 20 GW inspecionados em plantas fotovoltaicas ao redor do mundo, pode oferecer ao setor nacional todo seu conhecimento específico em ensaios fotovoltaicos e certificações de painéis térmicos, além de promover discussões de normas e portarias que orientem o mercado de energia solar nacional.

“Temos uma forte atuação no setor em prol do desenvolvimento da energia fotovoltaica no Brasil e no mundo, e queremos ampliar por aqui, sendo parceiro estratégico dos empreendedores e demais players, a fim de avaliar grandes projetos em construção, desde inspeções de controle de fabricação até ensaios na planta instalada”, afirmou Molinari. Os serviços também compreendem inspeções de instalação, de utilização e de manutenção, bem como avaliação de transporte dos módulos até o local de instalação, ensaios portáteis e treinamentos.

Perguntado sobre os benefícios da parceria para as empresas do setor, Molinari afirmou que os associados terão maior acesso a informações e conhecimento sobre os requisitos técnicos, além de contarem com uma infraestrutura de laboratórios e centros de pesquisas internacionais. Há também a questão da cobertura para os novos agentes da mini e microgeração distribuída, tanto residenciais quanto comerciais: “Hoje você pode ter um sistema instalado em sua casa, então precisamos disseminar essa informação da importância de atender a requisitos. Primeiro para a segurança, depois para eficiência. Não dá para botar fogo em casa”, ponderou.

A empresa trabalha basicamente com dois segmentos distintos: o de energia térmica, com aquecedores solares que possuem regras próprias do Inmetro e onde atua desde 2013, representando de 30 a 40% desse mercado no país. E a parte de fotovoltaicos, com alguns serviços voltados a inspeção de painéis, utilizando a rede de laboratórios espalhados pelo mundo. “O fabricante traz o produto do fornecedor, direto da China, e nós fazemos as verificações de acordo com as recomendações”, contou Molinari.

O gerente fez questão de salientar que os serviços abrangem toda a cadeia de desenvolvimento, não só o produto. “Aquelas empresas que constroem e operam usinas fotovoltaicas, por exemplo, contam com o suporte necessário para toda segurança, com rendimento e eficácia comprovada”.

Além de fabricantes e geradores da própria energia, a TÜV Rheinland atua também com bancos e seguradoras que irão financiar plantas solares, dando suporte para a definição de requisitos técnicos. Assim essas instituições podem ter uma confiabilidade financeira de onde estão aplicando, além da questão da eficiência prática dos projetos.

“Temos uma infraestrutura global onde damos suporte ao proprietário da planta a encontrar fornecedores de componentes mundiais, fazendo inclusive um gerenciamento com esses fornecedores, atuando também nas instalações dos mesmos conforme requisitos e regulamentações existentes, destacou Molinari.

Com mais de onze mil certificados ativos e atendendo a mais de 1.500 clientes dos mais variados segmentos no Brasil, a multinacional tem disponibilizado seus modernos centros de ensaios no exterior, em favor do desenvolvimento da energia solar nacional, desde meados de 2015, quando houve o acordo de reconhecimento mútuo estabelecido entre a CGCRE/INMETRO (Coordenação Geral de Acreditação do Instituto) e organismos internacionais como IAAC (Interamerican Accreditation Cooperation), ILAC (International Laboratory Accreditation Co-Operation) e DAKKS (Organismo Nacional de Acreditação da Alemanha), que chancelam os laboratórios da companhia nestes países.

A TÜV também desenvolve serviços que atestam a qualidade e a eficiência dos equipamentos importados ou fabricados no Brasil. Os ensaios em módulos, inversores e baterias são realizados em laboratórios da companhia localizados na China, Taiwan, Japão, Índia, Estados Unidos e Alemanha. Os testes são feitos conforme a portaria 004/2011 do Inmetro e aceitos pelo Instituto de metrologia brasileiro.

Na visão do coordenador geral de operações da área de energia solar da empresa, Gerson Allegretti, o mercado brasileiro é estratégico, visto a energia fotovoltaica possuir um enorme potencial de expansão por aqui: “Há abundância de irradiação e os custos da fonte já se encontram em patamares de alta competitividade”, afirmou Allegretti. A estimativa é que em 2020 a energia proveniente da luz solar represente 1,2% da matriz elétrica nacional, o que corresponde a um crescimento de 111% em relação ao ano passado.