Por projetos a carvão, Eneva é excluída de fundo soberano norueguês

Exclusão foi feita pelo Norges Bank com base nas recomendações do Norges Bank Investment Management

Da Agência CanalEnergia Negócios e Empresas
07/03/2017

A brasileira Eneva é uma das 10 empresas que atuam com carvão mineral excluídas do Fundo de Pensão do Governo da Noruega, considerado o maior fundo soberano do mundo. O anúncio da eliminação das companhias foi feito nesta terça-feira, 7, pelo banco norueguês Norges Bank, administradora do Fundo, com base nas recomendações do Norges Bank Investment Management.

De acordo com o comunicado, as exclusões estão amparadas em critérios aplicados ao carvão. Foram abertas exceções para green bonds ou subsidiárias que apresentam atividades significativas no segmento de energia renovável. O Norges Bank excluiu até agora 69 empresas e colocou outras 13 sob observação, com base no critério do carvão baseado no produto.

A Eneva é dona de dois ativos tendo o carvão com fonte de geração. A usina de Pecém II, no Ceará, possui uma capacidade de 365 MW, enquanto a planta de Itaqui, no Maranhão, tem potência instalada de 360 MW. A empresa detém ainda um empreendimento a gás natural (Complexo do Parnaíba, no Maranhão, com 1.427 MW) e a central solar de Tauá, no Ceará, com 1 MW.