Índice Comerc indica Belém e Manaus como melhores capitais para projetos solares no país

Indicador de julho de 2017 traz ranking de retorno financeiro para consumidores em todo o Brasil; Belém é o melhor local para projetos de baixa tensão e Manaus lidera em alta tensão

Da Agência CanalEnergia 
18/07/2017

Levando-se em consideração fatores estratégicos, como a irradiação solar, o ICMS cobrado na cidade e a tarifa de energia cobrada pela distribuidora local, Belém e Manaus são as capitais brasileiras onde a energia solar apresenta o melhor retorno econômico. Os dados são do Índice Comerc Solar, em sua versão de julho de 2017, que traz um ranking para que consumidores de energia possam avaliar a oportunidade de investir em projetos de energia solar fotovoltaica.

Hoje, as cinco capitais nas quais os projetos de baixa tensão têm o melhor retorno no Brasil são Belém (PA), Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ), Cuiabá (MT) e Manaus (AM). Os consumidores conectados à baixa tensão são aqueles de pequenos negócios, condomínios, hospitais, shopping centers e residências. No caso das grandes unidades consumidoras atendidas em alta tensão, as cinco capitais mais atraentes para os projetos de energia solar são Manaus (AM), Rio de Janeiro (RJ), Cuiabá (MT), Brasília (DF), e Vitória (ES).

“A energia solar fotovoltaica vive um boom no Brasil e no mundo. Criamos este índice para contribuir para a tomada de decisão de quem quer apostar nessa fonte de energia totalmente limpa, renovável e que terá um apelo cada vez maior no país, principalmente com o desenvolvimento da indústria local de equipamentos solares”, afirma Marcel Haratz, diretor da Comerc Solar, unidade especializada do grupo Comerc Energia.

A geração de energia solar no Brasil cresceu quase quatro vezes de 2014 para 2015, de acordo com o Balanço Energético Nacional, da Empresa de Pesquisa Energética (EPE). Dados aferidos pela Aneel indicam um total de 12.173 unidades consumidoras com geração distribuída de energia fotovoltaicas no país, com uma potência total de próxima a 100 mil kW. De acordo com a mesma agência, havia em 31 de dezembro de 2016 44 centrais geradoras solar fotovoltaicas com capacidade instalada de 23,7 MW. A mesma fonte informa também que há hoje no país 110 projetos de usinas fotovoltaicas em construção, que somarão, até 2019, 2.977,17 MW.